Estou mais seguro na minha cidade do que os outros: identidade com o lugar e optimismo comparativo na percepção de riscos urbanos

  • Maria Luísa Lima
  • Sibila Marques
  • Susana Batel
  • Sandra Carvalho
  • Juana Haldon
  • Stephanie Pornin
Palavras-chave: -

Resumo

Esta pesquisa pretendeu estudar o optimismo comparativo face aos riscos urbanos e explorar o papel que a identificação com a cidade de residência tem neste processo. O estudo foi realizado através de um inquérito a 156 estudantes universitários, residentes em Lisboa, Huelva e Lyon. Os resultados revelaram a existência de optimismo comparativo face a todos os riscos urbanos considerados (carteirismo, assalto da casa, terrorismo e queda de avião): os riscos para o próprio foram sempre considerados inferiores em relação aos riscos para os outros. No entanto,, os residentes consideraram-se menos vulneráveis do que os residentes de outras cidades (comparação exo-grupal) em particular no caso dos riscos graves e incontroláveis (terrorismo e queda de avião), sendo menos optimistas relativamente aos riscos menos graves e controláveis (assalto e carteirismo). Verificou-se que, no caso dos riscos urbanos incontroláveis, os inquiridos mais identificados com a sua cidade de residência revelam maior optimismo comparativo face aos residentes de outras cidades.

DOI: http://dx.doi.org/10.17575/rpsicol.v21i2.366

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-
Como Citar
Lima, M. L., Marques, S., Batel, S., Carvalho, S., Haldon, J., & Pornin, S. (1). Estou mais seguro na minha cidade do que os outros: identidade com o lugar e optimismo comparativo na percepção de riscos urbanos. PSICOLOGIA, 21(2), 45-58. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v21i2.366
Secção
Número Temático