Movimentação e diferenciação narrativa ao longo do processo terapêutico: Um estudo de caso longitudinal à luz do modelo de complementaridade

  • Joana Fojo Ferreira
  • Nuno Conceição
  • António Branco Vasco
Palavras-chave: -

Resumo

As narrativas são frequentemente consideradas o meio por excelência de reconhecimento e reorganização da experiência interna dos pacientes. Neste estudo procurou­?se diferenciar e identificar potenciais marcadores narrativos de capacidade de processamento e, ao quantificá­?los em diferentes momentos do processo terapêutico, verificar se existia evidência a favor da proposta de sequencialização do trabalho terapêutico do Meta­?modelo de Complementaridade Paradigmática, em termos de estratégias gerais. Foram definidos, reconhecidos e analisados processos narrativos a nível molecular (a partir da revisão de literatura) e a nível molar (a partir da teoria do meta­?modelo supra­?referido). Em ambos os casos, enfatizou­?se as formas e capacidades de processamento da informação em detrimento dos conteúdos narrados. Os resultados evidenciaram diferenciação e movimentação entre as fases consideradas para processos moleculares e molares, e nestes últimos reconheceu­?se um padrão de progressão narrativa de acordo com a sequencialidade proposta pelo modelo, para as fases em estudo.

DOI: http://dx.doi.org/10.17575/rpsicol.v25i1.284

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-
Como Citar
Ferreira, J., Conceição, N., & Branco Vasco, A. (1). Movimentação e diferenciação narrativa ao longo do processo terapêutico: Um estudo de caso longitudinal à luz do modelo de complementaridade. PSICOLOGIA, 25(1), 173-201. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v25i1.284
Secção
Artigos