Factores ambientais e psicossossiais da avaliação do risco de furto por carteirista: o caso de dois locais em Lisboa

  • Elena Sautkina
  • Clara António
  • Hugo Caseira
  • Filipe Correia
  • Dimitris Dimitriou
  • Cláudia Grijó
  • Ana Loureiro
  • Rita Morais
Palavras-chave: -

Resumo

É do conhecimento comum que o furto por carteirista é um tipo de crime que se encontra em ambiente urbano. Baseada em factores ambientais e psicossociais de representações espaciais de segurança/insegurança, previamente identificados, e presente investigação pretendeu explorar como este tipo de factores podem afectar as avaliações das pessoas, no que se refere ao risco de serem assaltadas por carteirista. Neste sentido, foram considerados dois locais em Lisboa, diferindo principalmente nas suas características ambientais, físicas e sociais. Os resultados mostram que fortes ligações sociais num local podem revelar-se muito importantes para a avaliação do risco de furto por carteirista, afastando e tornando menos importante as características ambientais físicas, enquanto que, nos locais de maior heterogeneidade social, onde as ligações sociais são fracas, o ambiente físico torna-se consequentemente mais importante para as percepções de segurança.

DOI: http://dx.doi.org/10.17575/rpsicol.v21i2.368

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-
Como Citar
Sautkina, E., António, C., Caseira, H., Correia, F., Dimitriou, D., Grijó, C., Loureiro, A., & Morais, R. (1). Factores ambientais e psicossossiais da avaliação do risco de furto por carteirista: o caso de dois locais em Lisboa. PSICOLOGIA, 21(2), 79-97. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v21i2.368
Secção
Número Temático

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)