Base emocional das diferenças de género na auto-estima dos adolescentes

  • Diego Gomez-Baya Department of Psychology, Universidad Loyola Andalucía, Spain
  • Ramon Mendoza Department of Social, Developmental and Educational Psychology, Universidad de Huelva, Spain
  • Susana Paino Department of Clinical and Experimental Psychology, Universidad de Huelva, Spain

Resumo

Uma menor auto-estima em raparigas confere uma maior vulnerabilidade a diversos riscos no desenvolvimento e transição para a idade adulta, comparativamente aos rapazes. Este estudo teve como objetivo estudar o papel da inteligência emocional percebida nas diferenças de género na auto-estima. Foi aplicado um questionário anónimo a 1791 adolescentes espanhóis com idade entre 12 e 17 anos, incluindo a escala de auto-estima de Rosenberg e uma versão reduzida da escala Trait Meta-Mood de inteligência emocional percebida. Os resultados mostram que as raparigas apresentam menor auto-estima geral do que rapazes, bem como menor inteligência emocional percebida. Os resultados constatam que a elevada atenção emocional percebida, nas raparigas, se relaciona com auto-estima mais baixa, enquanto, nos rapazes, se associa a uma maior percepção de clareza emocional e reparação, ambas associadas a uma auto-estima mais elevada. Estes resultados sugerem a necessidade de elaborar programas para melhorar a auto-estima na população feminina, através da redução da atenção emocional percebida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Diego Gomez-Baya, Department of Psychology, Universidad Loyola Andalucía, Spain
Department of Psychology (Developmental and Clinical)
Publicado
2016-12-07
Como Citar
Gomez-Baya, D., Mendoza, R., & Paino, S. (2016). Base emocional das diferenças de género na auto-estima dos adolescentes. PSICOLOGIA, 30(2), 1-14. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v30i2.1105
Secção
Número Temático