A prevalência do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (tdah): Uma revisão de literatura

  • Ana Lima Teles da Hora
  • Simone Souza da Costa Silva
  • Maély Ferreira Holanda Ramos
  • Fernando Augusto Ramos Pontes
  • João Paulo dos Santos Nobre

Resumo

Este artigo expõe as principais características metodológicas e os resultados apresentados pelos estudos de prevalência do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) através de artigos publicados no período de 2003 a 2014. Realizou-se uma busca em uma das principais bases de dados da área da saúde, o PubMed/MEDLINE que resultou em 23 artigos. Investigou-se as estimativas de prevalência; o processo de amostragem; o tipo de estudo; os critérios diagnósticos; e, as principais variáveis exploradas. O processo de mineração foi realizado pelos programas: EXCEL; NVIVO-10, SPSS 20; e MENDELEY. Resultados: Observou-se a média central de 11.26% entre as estimativas de prevalência encontradas; 99% dos estudos foram transversais; e o processo de amostragem mais utilizado foi o probabilístico por conveniência em 26.08% dos estudos. Os resultados alcançados apoiam a premissa de que os critérios metodológicos e diagnósticos ampliam a variabilidade das estimativas de prevalência a nível global.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Ana Lima Teles da Hora
Graduação em Psicologia (2008). Mestre em Teoria e Pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará (2011). Atualmente é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento, Universidade Federal do Pará(UFPA) e realiza um Estágio Doutoral Sanduiche na Universidad de Murcia(Espanha). Como Professora leciona em cursos de Graduação na Universidade Ceuma, especialmente Psicologia do desenvolvimento e psicopatologia. Atua principalmente nos seguintes temas: transtornos do desenvolvimento e TDAH.
Simone Souza da Costa Silva
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (1994), mestrado em Psicologia nesta mesma instituição (2001) e doutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília (2006 e pós doutora em Ciências da Reabilitação pela Universidade de Dortmund - Alemanha (2012), . Durante o mestrado, investigou a relação mãe-criança na situação de banho, no doutorado ampliou seu foco e investigou a estrutura e dinâmica das relações familiares em uma comunidade ribeirinha da Amazônia. Atualmente é professora e diretora adjunta do Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento (NTPC/UFPA) onde ocupa o cargo de Diretora Academica da Unidade além de atuar no Programa de Teoria e Pesquisa do Comportamento (PPGTPC) e na faculdade de psicologia. Nos últimos anos desenvolveu pesquisas com famílias ribeirinhas e coordenou grupo de pesquisa que investigou os impactos gerados pelo Programa Bolsa Família (PBF). O interesse por famílias excluídas socialmente como as ribeirinhas e pobres se ampliou com os trabalhos sobre famílias de crianças com alteração de desenvolvimento. Este interesse se expressa na orientação de alunos de pós-graduação. Em termos gerais, seus principais temas de investigação são: desenvolvimento, família, alteração de desenvolvimento, estresse, relações parentais e co-parentais e resiliencia familiar.
Maély Ferreira Holanda Ramos
Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA - 2010). Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento da Universidade Federal do Pará (UFPA ) . Bolsista de doutorado do CNPq. Atualmente realiza pesquisas sobre Crenças de Eficácia Coletiva de professores, Autoeficácia Docente e Satisfação no Trabalho a partir dos fundamentos da Teoria Social e Cognitiva de Albert Bandura.
Fernando Augusto Ramos Pontes
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (1986), mestrado em Teoria e Pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará (1990) e doutorado em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo (1996). Atualmente é professor associado IV da Universidade Federal do Pará, vinculado ao Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento e ao Programa de Pós-graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento. Coordena em conjunto com mais 3 professoras o Laboratório de Ecologia do Desenvolvimento no qual desenvolve pesquisas na área da Ecologia do Desenvolvimento Humano, atuando principalmente nos seguintes temas: relacionamento social, redes de relacionamento, parentalidade, coparentalidade, cultura de pares, cultura da brincadeira, brinquedos e brincadeiras tradicionais. Essas temáticas são investigadas preferencialmente em contextos de desenvolvimento na amazônia tais como a população ribeirinha, na família, no contexto de rua, nas relações de pares em escola de inclusão educacional e instituição de abrigo e brinquedoteca
João Paulo dos Santos Nobre
Doutorando do Programa de Pós Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento (PPGTPC/UFPA). Possui mestrado em teoria e pesquisa do comportamento (UFPA/2011); Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (UFPA/2009). Atuou como Auxiliar de Pesquisa (2004/2005); Pesquisador Voluntário (2005/2006); Bolsista PIBIC/UFPA (2006/2007) e Bolsista PIBIC / CNPQ (2007/2008) no Projeto de Pesquisa "Comportamento e saúde: pesquisa e desenvolvimento de tecnologias aplicadas à assistência a portadores de doenças crônicas". Atualmente cursa especialização em Terapia Analítico Comportamental pelo Centro e Ensino Superior do Pará (CESUPA). Atua, ainda, como pesquisador voluntário dos Projetos: Distúrbios do desenvolvimento e aprendizagem, Viola em Grupo, e Violino em Grupo, inseridos no Programa Cordas da Amazônia (PCA) da Escola de Música da Universidade Federal do Pará (EMUFPA). Possui experiência em avaliação de qualidade de vida em crianças e adultos, e adesão ao tratamento por pacientes com doenças crônicas, avaliação comportamental de crianças com TDAH
Publicado
2015-12-01
Como Citar
Lima Teles da Hora, A., Silva, S., Ramos, M., Pontes, F., & Nobre, J. (2015). A prevalência do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (tdah): Uma revisão de literatura. PSICOLOGIA, 29(2), 47-62. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v29i2.1031
Secção
Artigos