Síndromes frontais: Avaliação do lobo frontal (LF) e suas conexões

  • Maria Luísa Albuquerque
Palavras-chave: -

Resumo

Revê-se a literatura referente ao(s) lobo(s) frontal (LF) numa perspectiva neuropsicológica e neurológica, a partir sobretudo dos estudos de doentes com lesão focal e dos modernos estudos funcionais de activação do LF em indivíduos normais. Os quadros neuropsicológicos associados a lesão do LF, sobretudo do córtex pré-frontal (CPF), são variados e de difícil sistematização, descrevendo-se alguns casos típicos. Discute-se se o papel do CPF é determinado pelo estabelecer e regular/modular ligações entre ou com outras áreas cerebrais (“vias ou circuitos” anatomo-funcionais envolvendo o CPF e outros córtices/sistema límbico/tálamo), ou se implica alguma característica intrínseca. As teorias neuropsicológicas discutem “funções frontais” executivas e comportamentais ou, pelo contrário, uma função única e unitária do CPF (ex: memória de trabalho, controlo inibitório)? Revê-se ainda a correlação entre as funções e subdivisões do CPF (nomeadamente direita/esquerda e interna/orbitária/dorso-lateral). Descrevem-se testes laboratoriais que procuram avaliar iniciativa e fluência, regulação, planeamento, atenção, capacidade de resistir à interferência, capacidade de abstracção, flexibilidade mental e aspectos físicos da memória, emoções e comportamento.

DOI: http://dx.doi.org/10.17575/rpsicol.v16i1.472

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-
Como Citar
Albuquerque, M. L. (1). Síndromes frontais: Avaliação do lobo frontal (LF) e suas conexões. PSICOLOGIA, 16(1), 123-155. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v16i1.472
Secção
Número Temático