O ensino da história em tempos pós-coloniais: comentário às análises dos manuais de história portugueses e brasileiros

  • Pedro Cardim
Palavras-chave: -

Resumo

Os resultados da sondagem efectuada a manuais de história usados em escolas de Portugal e do Brasil são muito reveladores acerca da imagem do descobrimento do Brasil. No que respeita a Portugal, verifica-se que a representação do descobrimento continua a ser estruturada por uma série de crenças que entroncam no antigo imaginário colonialismo lusitano. Quanto aos manuais brasileiros, transmitem uma imagem mais ambígua do descobrimento, onde colonização se confunde com ocidentalização, e onde a avaliação positiva do “achamento” do Brasil convive com severas críticas à destruição provocada peça chegada dos europeus à América do Sul. No seu conjunto, os manuais de ambos os lados do Atlântico tornam bem patente que continua a ser difícil olhar para o descobrimento fora das narrativas mestras sobre a história dos dois países. Tal dificuldade dever-se-á, em parte, à incapacidade dos historiadores para promoverem uma reflexão crítica sobre as condições de produção do saber acerca dos contatos entre europeus e sul-americanos. Sem essa reflexão, será difícil construir um conhecimento menos luso-centrado e mais sensível à diferença cultural.

DOI: http://dx.doi.org/10.17575/rpsicol.v17i2.452

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-
Como Citar
Cardim, P. (1). O ensino da história em tempos pós-coloniais: comentário às análises dos manuais de história portugueses e brasileiros. PSICOLOGIA, 17(2), 339-348. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v17i2.452
Secção
Número Temático