Será o estilo de vinculação específico para cada relação? Um estudo utilizando a Teoria da Generalidade

  • João M. Moreira
Palavras-chave: -

Resumo

O pressuposto de que o estilo da vinculação nos adultos é uma característica da pessoa, igualmente expressa em diferentes relações, foi examinado através de um estudo de generalizabilidade. Estudantes universitários responderam a um curto questionário medindo as 2 dimensões fundamentais das auto-avaliações do estilo de vinculação dos adultos (Preocupação e Evitação) para cada uma das 5 relações (pai, mãe, melhor amigo do mesmo sexo, parceiro romântico ou melhor amigo do sexo oposto, outra pessoa próxima). Verificou-se que a Evitação, o componente de variância correspondente à interacção PessoaxRelação tinha uma magnitude que era aproximadamente o dobro da do componente Pessoa, enquanto que o oposto acontecia para a Preocupação. Estes resultados implicam que a necessidade de se considerar características específicas das relações e apoiam a proposta de Bartholomew (1990), de que a evitação reflecte a representação dos outros (e é, portanto, específica das relações), enquanto que a preocupação reflecte a representação de si próprio (e é, portanto, específica da pessoa).

DOI: http://dx.doi.org/10.17575/rpsicol.v20i1.380

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-
Como Citar
Moreira, J. (1). Será o estilo de vinculação específico para cada relação? Um estudo utilizando a Teoria da Generalidade. PSICOLOGIA, 20(1), 127-154. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v20i1.380
Secção
Número Temático