Representações sociais e identidade em grupos de mulheres ciganas e rurais

  • Mariana Bonomo
  • Zeidi Araújo Trindade
  • Lídio Souza
  • Sabrine Mantuan dos Santos Coutinho
Palavras-chave: -

Resumo

A partir das teorias da Identidade Social e das Representações Sociais tivemos como objectivo analisar as relações intergrupais estabelecidas entre comunidades rural e cigana, procurando conhecer os significados e as práticas construídas na dinâmica entre endogrupo e exogrupo. Participaram no estudo 17 mulheres de duas comunidades tradicionais, com idades entre 14 e 67 anos. Realizamos entrevistas individuais a partir de roteiros semiestruturados. Procedemos à análise dos dados através do software ALCESTE e da Análise de Conteúdo. Os resultados indicaram presença de práticas que sugerem a existência de elementos de representação ambíguos orientando as relações intergrupais. Discute-se o conflito conduzido pela diferenciação identitária ancorada nos elementos das culturas “cigana” e “rural”, reforçado por representações dos ciganos como povo amaldiçoado, e os laços de solidariedade gerados pela identidade feminina em comum, que agrega o sentimento de mulheres sofredoras e exploradas pelos homens que detêm o poder em ambos os grupos.

DOI: http://dx.doi.org/10.17575/rpsicol.v22i1.342

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-
Como Citar
Bonomo, M., Trindade, Z., Souza, L., & Coutinho, S. (1). Representações sociais e identidade em grupos de mulheres ciganas e rurais. PSICOLOGIA, 22(1), 153-181. https://doi.org/10.17575/rpsicol.v22i1.342
Secção
Artigos